Parestesia


Teus dedos
Carinham
As costas de minha mão
E sobem
Devagar
Pelo meu braço
Indo brincar
Nos pormenores do meu rosto

[E adormeço
Enquanto, delicada
Acaricias meus cabelos
E desperto
Quando a memória da tua mão
Vai repousar em minha nuca]

(setembro de 2012)