Medo

Não me assuste tanto assim
Meu doce amor incerto
Não te esconde assim de mim
Não seja longe; Seja perto.

Se sozinho, eu tenho medo
Medo de acabar perdido
Perder-me nos teus segredos
E não me achar no teu sorriso

Não me esconde o pensamento
Não te escondas tanto tempo
Dá-me a flor. Dá-me o espinho.

Não assusta o teu amante
Não te esconde assim distante
Eu tenho medo se sozinho.

(2007)

Flores

Viveremos
Entre um bem-me-quer e um mal-me-quer
Até não restar pétala alguma.

(novembro de 2009)